Oferecimento:

Confira na matéria:

O prefeito de Garanhuns intencionalmente distorce fatos para tentar jogar a opinião pública contra os vereadores Betânia da Ação Social e Tonho de Belo. E tenta atingir a mim, Luiz Roldão, que trabalhei no seu primeiro governo como gestor do bolsa-família.

Modéstia parte fiz um bom trabalho, aumentei de forma significativa o número de pessoas atendidas em Garanhuns pelo programa do Governo Federal, fui fiel ao gestor, cumprindo o meu dever como servidor da Secretaria de Assistência Social e me empenhando na campanha pela sua reeleição.

Quando decidi trabalhar para o prefeito Izaías Régis, em 2013, não estava desempregado. Ao contrário, atendia três municípios da região dentro do que sei fazer. Tiver que largar os três empregos para ficar exclusivo de Garanhuns e o gestor disse que ficasse tranquilo pois receberia todo apoio e ficaríamos juntos pelo tempo em que ele estivesse no poder.

Mas depois de reeleito o prefeito ficou com enrolação, quando falava com ele mandava ficar tranquilo e me dizia “você é de casa”. Até que um dia, precisando de uma definição para tomar um rumo pois não ia ficar esperando indefinidamente, perguntei se iria continuar o trabalho desenvolvido e o senhor Izaías Régis saiu-se com esta: as mulheres não te querem lá!

Quem eram as mulheres que ele usava para me jogar fora do seu governo de forma tão acovardada? Pelo que entendi era a secretária Célia e a primeira dama, Socorro Régis, a quem muito respeito. Mas de fato fui afastado por pedido delas ou por ele que não teve coragem de assumir minha demissão como decisão sua?

Nesse episódio da Associação dos Artesãos de Garanhuns, que faz a decoração do Natal, ele volta a usar duas mulheres para não enfrentar de frente a questão. Dessa vez envolve a esposa e a filha e malandramente tenta botar na cabeça do povo que dois vereadores querem acabar com as festas natalinas da cidade.

E é esse prefeito que telefona de São Paulo para um jornalista e chama a mim a vereadora Betânia de fracos? Fraco é quem não assume os seus atos, quem precisa se esconder atrás da saia de uma mulher para atacar ou se defender.

Vem me acusar de fazer armação, porém em nenhum momento nega a autenticidade da gravação feita com Rinaldo Passarinho. Ele disse o que quis espontaneamente, sabia que íamos fazer denúncia e ainda comentou que já devíamos ter feito há muito tempo. Não há armação, há verdade, são fatos, são revelações comprometedoras que precisam ser apuradas.

O prefeito está acostumado a dar grito, a bater na mesa, a humilhar secretário e vereador. Mas comigo e com a vereadora Betânia ele bateu na porta errada, não temos medo dele, não tememos seu poder econômico nem sua capacidade de perseguir.

Vamos até o fim com essa história doa a quem doer, a verdade vencerá e se o Natal de Garanhuns for prejudicado não será por nossa causa e sim porque o prefeito bota sua família para organizar uma festa desse porte, com gastos que segundo ele mesmo revelou ultrapassam os três milhões de reais, quase um milhão só com a decoração das ruas e praças.

A Associação, que Rinaldo disse ser formada por laranjas e comandada pela família do prefeito publicou uma nota defendendo o esquema atual e não é de estranhar. Afinal de contas é tudo da mesma panela e a sede da associação, uma entidade particular fica localizada no Centro Cultural, que é um órgão público.

Então eu acho que Rinaldo Passarinho disse muitas verdades e se depois tentou desdizer é porque recebeu pressões e teve medo, mas nós não temos. A nossa consciência está tranquila, não queremos prejudicar o Natal nem qualquer outro evento importante para nossa cidade. Mas que as coisas sejam feitas com transparência, sem nepotismo indireto e sem gastos desnecessários porque 306 mil reais que gasta a mais na decoração pode fazer falta no posto de saúde, no reparo da escola ou na recuperação dos buracos das ruas.

Notas em branco ou notas frias são indícios de coisas erradas. Isso precisa ser esclarecido até porque a empresa citada pelo ex-coordenador do Natal Luz, senhor Rinaldo Passarinho, empresa está com capital financeiro de 300 mil reais já vendeu ao município de Garanhuns mais de R$ 12 milhões.

O prefeito usa a imagem da própria mulher e da filha, se esconde por trás de uma associação sob a qual foram levantadas suspeitas fortíssimas e por último recorre até a forasteiros para fazer sua defesa.

Logo ele que em 2012 falava tanto contra os forasteiros e convocou o povo de Garanhuns para expulsar daqui o ex-prefeito de Lajedo, Antônio João Dourado.

O prefeito fala em mentira e armação e ele pode nisso está certo. É mentira que Betânia e Tonho de Belo estejam contra o Natal, é mentira que a associação seja independente e exista para gerar emprego em Garanhuns.

Verdade mesmo é que ele começa bem uma coisa e depois desanda. Fez um Festival de Música e Arte que depois acabou por causa de denúncias, fez o Festival da Jovem Guarda que acabou sem dar satisfação à população, acabou com o Festival de Jazz,  conseguiu enfraquecer o Festival de Inverno depois que contratou artistas pela prefeitura e houve denúncia de superfaturamento nas contratações.

Fez o primeiro governo que o povo de Garanhuns gostou e em um ano e meio do segundo mandato só está conseguindo desmanchar o que construiu. Cadê a reforma da Avenida Santo Antônio? Cadê a reforma do Mercado 18 de Agosto? Cadê a reforma da Ceaga que está se acabando e prejudicando a vida dos comerciantes?

O prefeito só quer aplauso, não admite questionamento dos vereadores, do povo nem da imprensa. Ataca Betânia por ser mulher e quer destruí-la como vereadora por não ter aceitado a obediência cega, por não ser mais um que tem medo dele,  como ele se fosse o reizinho.

Ao meu ver o que os vereadores combatem é o autoritarismo do Sr. Prefeito, é o gasto mal explicado do dinheiro público,  o excessivo envolvimento de familiares do gestor numa festa que devia ser organizada por uma empresa privada, contratada depois de licitação pública. Com todos os custos minuciosamente discriminados. Coisa que não vemos atualmente. Tudo isso não passa de política rasteira de quem se julga dono da cidade para tentar destruir quem se recusa a lhe dizer amém. Seja para o que for. Assim como eu, os dois vereadores são conscientes e fizeram certo em votar na Câmara contra um projeto de aumento de gastos, enquanto os outros, que aprovaram o projeto suspeito do prefeito deram um voto constrangido.

Lamentável que um homem que foi deputado por três mandatos, que está no segundo mandato de prefeito, faça política desta forma, distorcendo as coisas, criando factoides e usando até pessoas de fora para fazer sua defesa. Será que está faltando homem em Garanhuns? Ou ele considera que seus aliados na Câmara não têm credibilidade? A verdade prevalecerá, um dia todos no município saberão quem está realmente a favor de Garanhuns.

Em nenhum momento a família do prefeito foi atacada. É só ler o que foi publicado nos blogs e redes sociais para ver a verdade. Vejo que os vereadores apenas estão cumprindo a função de fiscais das ações do Poder Executivo. Cobrando explicações de gastos feitos com dinheiro público. Até este momento o governo municipal ainda não respondeu a nenhum dos questionamentos, seja do parlamento, da oposição ou da sociedade. Pelo contrário, foge do assunto forjando uma briga política que não interessa ao município. Usa de expedientes mesquinhos e de politicagem rasa e rasteira, tentando se fazer de vítima. Como se nessa história ele fosse um santo acompanhado da Virgem Maria. Não é assim que a banda toca. Em Garanhuns existem fantasmas que precisam ser investigados, uma associação que precisa ser investigada, uma caixa preta a ser aberta.

Quando a verdade vier à tona muita gente vai ter um choque, por que a ponte do ex-prefeito Luiz Carlos não é nada comparada ao que acontece hoje. Um dia todo mundo vai saber a verdade deste governo, e aí não adiantará se esconder debaixo das saias de ninguém nem requisitar forasteiros para falar por ele. Acredito que a máscara está caindo, o governo de Izaías está se desfazendo como seus asfaltos sonrisal. Creio que já na eleição deste ano ele terá uma resposta do povo e na próxima eleição de prefeito Garanhuns vai exigir mudanças porque não aguenta mais a vaidade, arrogância e as manipulações do político mais maquiavélico da história do município.

Os fatos graves que foram denunciados pelo ex-coordenador do Natal foram levados hoje ao conhecimento do Ministério Público e do Tribunal de Contas do Estado. São órgãos sérios, nesses lugares não tem armação nem espaço para mentiras. Queremos que tudo seja investigado, apurado, que a verdade prevaleça. Acreditamos na Justiça e nos órgãos de controle do poder público. A luta de Tonho de Belo e de Betânia não é por cargos, vantagens financeiras ou poder político. Eles lutam por Garanhuns e seu povo. Apesar das manipulações do prefeito e dos que o seguem por interesse a verdade vencerá, as coisas do município serão passadas a limpo e quem errou que arque com as consequências.

Luizinho Roldão

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
“O prefeito está acostumado a dar grito, a bater na mesa, a humilhar secretário e vereador”. Diz Luizinho Roldão em resposta a Izaías

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas